segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Nego Dito Beleléu


“Sozinho nesta cozinha/ em pé eu tomo um café/ na pia a louça suja me lembra da roupa suja no tanque que a vida é”

O melhor sinônimo de “infinito” (pra mim) é uma pilha de louça suja sobre uma pia (as domésticas que o digam). Na casa de minha mãe, quando se lavava a última louça do almoço, começavam-se a produzir outras da janta. É o tal “circulo vicioso” ou é a fenomenologia “cíclica” de Carl Jung, de onde se conclui que vivemos em um mundo de coisas e fatos que eternamente se repetem, sem a possibilidade de ruptura desse processo. Quem não tem na lembrança a imagem da vó ou da mãe ralando a barriga molhada numa pia de cozinha, hein? E esse, sem dúvida, é o drama de quem não tem alguém pra livrá-lo do infortúnio de uma pia cheia de louça suja.
Lembro sempre do Nego Dito Beleléu quando entro na cozinha de casa (e canto sempre esse mesmo trecho de “Noite Torta”), e é justamente de Itamar Assumpção que venho falar.
Recebi a programação de setembro da Biblioteca Alceu Amoroso Lima e lá será prestada homenagem aos 5 anos da morte do músico com a exibição do documentário, em curta metragem, Beleléu Cá Entre Nós – Itamar Assumpção Antes do Nego Dito - logo em seguida tem bate-papo com o diretor do curta, Fabio Henriques Giorgio, sobre os aspectos do processo criativo e a obra do compositor; tudo isso na próxima sexta-feira, dia 12. E no sábado, dia 13, justamente no dia em que Itamar comemoraria 59 anos, vai rolar uma celebração musical em torno do seu repertório, um Show-tributo em releituras dos “clássicos” e outras menos conhecidas do Nego Dito, com os músicos Renato Gama, Joana Flor, Tulipa Ruiz, Luiz Couto, Thiago Saraiva, Maurício Pascuet e Daniel Manzione.

Serviço:
Documentário Beleléu Cá Entre Nós – Itamar Assumpção Antes do Nego Dito dia 12, às 19h. Grátis.
Show-Tributo, dia 13, às 18h. Grátis.
Biblioteca Alceu Amoroso Lima. Rua Henrique Schalmann, 777 – Pinheiros (esquina com a rua Cardeal Arcoverde).
Tel. 3082 5023.

2 comentários:

CINE JORNALISMO EM PAUTA disse...

Gostaria de assistir o documentário em Belo Horizonte.
Itamar Assumpção sempre será eterno para a cultura brasileira.

www.cinejornalismoempauta.blogspot.com

ZECA disse...

Pra cultura paulistana é ainda muito maior.