quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Paraty: segundo dia.

Acordei com uma leve ressaca (foi a Coqueirinho paratiense a culpada). Chovia enquanto tomava café da manhã, mas o sol finalmente deu as caras (tá um pouco tímido ainda). Daqui a pouco vou tomar uma aguinha de coco pra rebater e recuperar a dignidade. Cerva e mais Coqueirinho só for mais à noite.

Tenho mesa de debate às 15h30 com o Reinaldo Moraes. Sou leitor assumido do cara. Já disse isso: Reinaldo, Marcelo Rubens Paiva e Caio Fernando Abreu são responsáveis por eu gostar de narrativas soltas, sem lirísmos, ou outras firulas. Revolucionaram a cabeça e a escrita do Zequinha desde os anos 80.

Como assinante e leitor, eu vivo me queixando da Falha de S. Paulo, agora vejam minha contradição: estou tomando cafezito, lendo jornal e usando wifi da Falha tudo digratis. Tem estande que o periódico montou ao lado da tenda do telão. É mole?
Evolução: consegui entrar na internet no celular, mas operar o Facebook por ele tá flórida. Eita.

Um comentário:

Débora Poulain disse...

Hahahahaha! Podicrê que a Folha se redimiu com uma porção de leitores no estande da Flip. Só que distribuir jornal faz mal a saúde, mas tudo bem, era optativo ler. Beijo!