sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Lira Paulistana (448 aniversário de Pinheiros)


Reproduzo aqui parte da programação do site (http://www.bibliotecas.sp.gov.br/) da biblioteca Alceu Amoroso Lima com os eventos em comemoração aos 448 anos de Pinheiros.

Começa hoje com bate-papo com alguns protagonistas do Lira Paulistana e eu estarei por lá - faça chuva ou frio, ou os dois.



Lira Paulistana

Pinheiros completará, no dia 15 de agosto, 448 anos. Fato marcante na sua história recente, cujos ecos ainda ressoam com força expressiva, o Lira Paulistana merece destaque nas comemorações do seu aniversário. O porão da Rua Teodoro Sampaio, convertido em teatro de 200 lugares, tornou-se, no início dos anos de 1980, uma espécie de centro cultural alternativo onde se encontravam não apenas músicos, mas representantes das diversas expressões artísticas da cidade. Na sua curta existência, foi palco de toda uma geração de artistas, incluindo os músicos desde então conhecidos como Vanguarda Paulistana. Apesar de fechado há mais de vinte anos, aquele momento ainda é extremamente representativo para o bairro e para as novas gerações que por ali circulam. Para contar um pouco sobre essa história, convidamos algumas pessoas que ajudaram a escrevê-la:

Bate-papo com Mário Manga, Skowa, Turcão e Wilson Souto Jr. (Gordo)Mediação de Laert Sarrumor Dia 15 de agosto, 6ª feira, às 19h

Bate-papo com Chico Pardal, Paulo Barnabé e Suzana Salles.Mediação de Laert Sarrumor. Dia 22 de agosto, 6ª feira, às 19h

SHOWS
Patife Band Criada em 1985 por Paulo Barnabé, a banda nasce com influência das técnicas de composição erudita contemporânea das quais surgem ritmos assimétricos, células atonais, harmonias dodecafônicas. Há também assumida influência de punk-rock, jazz e ritmos brasileiros. Com formação diferente da original, busca atualmente novas sonoridades. Com Paulo Barnabé (bateria e vocal), Paulo Braga (piano), Matheus Leston (sintetizador) e Celso Veagnoli (sax tenor barítono). Dia 16 de agosto, sábado, às 18h

Suzana Salles Integrante da chamada Vanguarda Paulistana, iniciou sua carreira com Arrigo Barnabé, na Banda Sabor de Veneno, e Itamar Assumpção, na Banda Isca de Polícia.Com eles gravou, respectivamente, Clara Crocodilo e Às Próprias Custas S/A. Tem parcerias com Itamar Assumpção, Ná Ozzetti, Chico César e Paulo Padilha.O seu último CD solo, As Sílabas, foi apontado pela crítica como um instigante instrumento de resistência dentro do atual panorama musical brasileiro. Ao lado do músico e compositor Paulo Padilha, a cantora apresentará canções de Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé e Luiz Tatit, além de relembrar momentos marcantes de sua carreira. Dia 23 de agosto, sábado, às 18h


Língua de Trapo No show Allegro ma non trappo, a banda paulistana com mais de 25 anos de estrada se mantém mordaz e atual. Com a irreverência de sempre - sarcasmo e ironia mesclando paródias, piadas e esquetes - serão apresentados os seus sucessos, agora repaginados, e ainda músicas inéditas, impagáveis sátiras de costume que são a marca registrada do grupo. No repertório: Conchetta, Tudo para o Paraguai, Força do Pensamento e Country os Brancos. Com Laert Sarrumor (voz), Sérgio Gama (voz, violão e bandolim), Marcelo Castilla (acordeon e teclado), Zé Miletto (teclados), Valmir Valentim (bateria), Cacá Lima (baixo e vocal) e Marcos Arthur (percussão). Dia 30 de agosto, sábado, às 18h

3 comentários:

Rodrigo Torres disse...

Zé, essa de camisa estampada e de cabelos cacheados é a canadense Alanis Morissetti? hehe!

Rodrigo Torres disse...

A da primeira fileira - à esquerda.

ZECA disse...

CAra, eu não havia repado nessa semelhança. Se eu não estiver enganado deve ser a Vânia Bastos.